terça-feira, 14 de junho de 2016

That's Amore!!

Ele por vezes enerva-me, irrita-me, chateia-me, apetece-me bater-lhe, goza com os meus cozinhados, apressa-me nas minhas tarefas dizendo que já está pronto da sua única tarefinha, mas estou cada dia mais apaixonada por ele!!
LOVE YOOOUUU PAROOOLLOOOO!❤❤❤

domingo, 5 de junho de 2016

@ Mom's

Eu e minha irmã ja saímos de casa faz tempo, no entanto estamos sempre metidas em casa da minha Mãe. Ou vamos de visita e acabamos por ficar a almoçar ou jantar, ou vamos mesmo para dormir uns dias por este motivo ou aquele.
Somos umas mimadas, andamos sempre na barra da saia da mommy.

No outro dia, quando chegámos, deparámo-nos com uma nova peça de decoração deveras peculiar...será uma boca?? Será uma dica??

Não quero saber, ri-me, achei o máximo e pretendo usufruir sempre que possa, forever and ever 😜

O Coxo ou o Rabudo

Duas ou três semanas depois da Laura, a Parolinha, nascer fui passar uma temporada a casa da minha mãe. O Parolo tinha regressado ao trabalho, as noites não estavam a ser fáceis, eu pouco que me conseguia mexer e para ser mais prático, em vez de ir a minha Mãe lá para casa dar apoio, fomos nós para casa dela, até porque o Henrique, o Primo Parolo passa lá o dia enquanto a minha irmã trabalha e era tudo bem melhor.

E lá estava eu a dormir no meu quarto antigo, naquela que sempre foi a minha cama mas, agora, já não a dormir a sono solto milhões de horas mas a acordar de 2 em 2 ou 3 em 3h para dar de mamar.
Numa mamada das 5h da manhã comecei a ouvir um barulho estranho e horrível no silêncio da noite...tum...tum...tum.... Até suei...um som seco, ritmado...horripilante.
Na noite a seguir...outra vez, na mesma hora o mesmo som...e na a seguir e na outra e na outra...
A sensação que dava era que se naquele momento fosse à janela não veria ninguém na rua apesar do barulho que ouvia.

A minha irmã decidiu levar os miúdos a Lisboa para baptismo de vôo e a minha Mãe também foi. Como viajaram em low cost e para proveitarem o dia ao máximo, foram no primeiro avião. Coincidiu então que eles passaram pela casa da minha Mãe para a buscar na hora do barulho ensurdecedor do tum tum tum no silêncio.

Quando chegaram à noite lembrei-me e perguntei a medo "quando saíram de casa estava alguém a passar na rua?" (bem, se eles me diziam que não fazia as malinhas e ia embora nesse dia mesmo, hahaha) e eles disseram que sim, que estava a passar um homem e perguntaram o porquê da questão. Lá estive eu a contar o terrível som que ouvia às 5h da manhã TODAS AS NOITES.
Foi um alívio quando o meu irmão disse que já ouvia esse barulho há imenso tempo, que no início também de pelou de susto e medo, mas que depois tinha ido investigar e percebeu que era o Coxo.

Ninguém sabe quem é o homem, nem o que ele vai fazer às 5h da manhã para cima sendo que passado um bocado vai para baixo. Já inventamos mil histórias, já nos rimos à gargalhada, já planeamos perseguições (o meu irmão no outro dia foi guardar o carro para ir atrás do homem...mas ele desapareceu...quando entrou e me disse, sim, às 5h da manhã esta casa é uma animação como se fossem 5h da tarde, eu disse que tão depressa ele subiu como desceu, que até achei estaranho porque costuma demorar mais um pouco).

O homem vai na direção do centro da vila, onde está tudo fechado e não está ninguém, mesmo chovendo, lá vem ele...sempre, todos os dias, na mesma hora... Que será que vai fazer??

A minha mãe diz que vai buscar terra ao cemitério, lolol, (pelo tempo que demora, não tem tempo para isso) e tem outra suspeita, mas é nojenta para escrever já que implica usar uma parede perto dos latões do lixo como casa de banho para necessidades fisiológicas sólidas (sim...na parede)...

La em casa já todos estão atentos ao Coxo e qualquer dia vamos mesmo atrás dele e até a minha irmã, que de vez em quando também assenta arraiais na minha Mãe, estava muito preocupada no outro dia porque...não ouviu o Coxo...