segunda-feira, 18 de julho de 2016

Relatório

Do meu cunhado ainda silêncio absoluto...parolo..humpf

O coração está a mingar

Estou a ficar com coração cada vez mais apertado e pequenino. A verdade é que já penso nisto desde o dia que ela nasceu, que vai chegar o dia em que vamos ter que deixar de passar as 24h do dia juntas...

Todos me dizem que vai ser bom, que o reencontro e o tempo juntas se torna melhor, mais rico, mais aproveitado...mas para já não consigo ver com esses olhos positivos...vejo o afastamento com o coração triste de quem sente que me vão arrancar um pedaço.
Tenho um emprego com um bom horário, saio às 17,30h e isso é otimo, mas e os acordares sem tempo?? E os mimos a qualquer hora? E os nossos momentos, só nossos e de mais ninguém, da amamentação em que só as duas existiamos??

Eu acredito que vem aí uma nova fase tão boa quanto tem sido até agora mas diferente. Vou ter que me adaptar a uma nova realidade em que eu já não estou de licença e que volto ao trabalho.
A verdade é que além de não poder dar-me ao luxo de me tornar uma stay at home mom penso que também é um benefício para ela de ter uma mãe ativa e realizada profissionalmente.

Posto isto, de hoje a oito dias vou voltar ao trabalho...

sábado, 16 de julho de 2016

O meu cunhado

O meu cunhado, mais conhecido como Tio Peluche, quer que eu ganhe dinheiro com o blog. "Se há muita gente a ganhar, também podias ganhar", diz ele.

Pergunto-lhe: "mas tu lês o meu blog?"
Ele responde: "...não..."

Case desmissed!

Ps. Vamos ver quanto tempo ele demora a ver que fiz um micro post dedicado a ele. Se for rápido escrevo um mega post em sua honra 😜

segunda-feira, 4 de julho de 2016

AL / DL #3

AL - mal chegava à praia ia ao mar e tomava mil banhos. Dormia a ouvir as pessoas lá longe e quando acordava ficava a ler ou a observar as estranhas criaturas que insistem em, apesar de uma praia vazia, se colarem às toalhas dos vizinhos.
DL - cheguei à praia cedíssimo e fui apenas molhar os pés...com ela (mas que bom que foi, principalmente porque foi a primeira ida à praia da Parolinha), fiquei acordada enquanto ela dormia, e olhei para ela enquanto comentava que há estranhas criaturas que insistem em, apesar de uma praia vazia, se colarem às toalhas dos vizinhos.